Menu fechado

A Ginástica Hipopressiva foi criada pelo Professor Doutor Marcel Caufriez, fisioterapeuta belga, doutorado em Ciências da Motricidade e especializado em Reabilitação. As Técnicas Hipopressivas englobam posturas e movimentos que visam a diminuição da pressão nas cavidades torácica, abdominal e pélvica.

Durante os seus estudos Marcel verificou que os exercícios hipopressivos proporcionavam alguns benefícios:

  • Diminuição da pressão abdominal, por criar um efeito de vácuo que aspirava as vísceras para cima, não as empurrando contra o assoalho pélvico (o que seria causa de uma série de patologias),
  • Tonificação da parede abdominal, por ativar a musculatura mais profunda desta região.

Apaixonado pela reeducação uroginecológica , através de sua dedicação a reabilitação no pós-parto, Caufriez criou a primeira técnica hipopressiva a qual chamou de aspiração diafragmática.

Esta técnica surgiu como uma alternativa para conseguir a tonificação dos músculos abdominais de mulheres no período pós-parto. Dado que as técnicas de fortalecimento empregadas até aquele presente momento implicavam um enorme risco de causar alterações na estática pélvica essa era uma importante alternativa. (Caufriez, Fernandez, Fanzel e Snoeck, 2006).

Vantagens da ginástica hipopressiva

Assim, a pressão intra-abdominal é reduzida e os músculos internos do abdômen são fortalecidos. Além do mais, o períneo também fica mais forte e a compressão dos discos intervertebrais da região lombar é diminuída, o que melhora as dores na coluna.

Como a musculatura do períneo, responsável pela contração vaginal, fica mais forte, a sensação de prazer torna-se muito maior na hora do sexo, principalmente porque a circulação sanguínea local é ativada, o que aumenta a sensibilidade.

Ginástica hipopressiva X Exercícios abdominais

Atualmente, são vários os estudos que demonstram o efeito negativo dos exercícios abdominais clássicos (fásicos) sobre o tônus do assoalho pélvico das mulheres e o impacto nas patologias de prolapsos pelvianos.

O exercício abdominal comumente utilizado para o fortalecimento dos músculos desta região favorece o aumento da pressão intra-abdominal e, com isso, um aumento da sobrecarga no períneo e na coluna.

A ginástica hipopressiva, por sua vez, auxilia no maior controle dos diferentes músculos abdominais, uma vez que estimula maior percepção da região abdominal e de seus órgãos.

Em contrapartida, existe cada vez mais comprovação científica da implicação terapêutica positiva da GAH em muitas patologias funcionais, em particular, aquelas relacionadas com o “Síndrome de Deficiência Postural” (Martines da Cunha – Lisboa 1979). Exemplos são as artralgias crónicas, dorsalgias, lombalgias, cervicalgias, ciatalgias, escolioses idiopáticas, fadiga crónica, etc.

 

 

Benefícios do método

  • Diminuição das sequelas normais de um período pós-parto.
  • Redução do perímetro da cintura.
  • Melhoria postural em nível do tônus abdominal e estabilização lombar, evitando a pressão sobre a parte visceral.
  • Ajuda a controlar problemas de incontinência e a flacidez dos órgãos (vagina, bexiga, ânus e reto).
  • Aumento do tônus do assoalho pélvico e da faixa abdominal.
  • Aumento da força contrátil de períneo.
  • Melhoria da vascularização por descongestionamento pélvico e a nível linfático (pernas inchadas/pesadas).
  • Melhoria das funções sexuais e diminuição das dores menstruais.

Os resultados, é claro, ficam restritos à capacidade do praticante em realizar corretamente as séries, uma vez que estas exigem maior concentração e consciência corporal.  Algumas pessoas não evoluem com facilidade, então é necessário um maior tempo para se atingir os objetivos. No entanto, se o indivíduo conseguir realizar os exercícios hipopressivos de maneira correta, é possível perceber a melhora da silhueta na primeira semana de terapia.

Quem pratica estes exercícios regularmente pode observar seus benefícios em 4 semanas.

Segundo os especialistas, o paciente começa a perceber a mudança na região como se fosse uma cinta que envolve a área abdominal anterior e lateral. Esta “cinta” trabalha ativamente durante os movimentos do corpo sem que a pessoa precise pensar durante suas atividades para contrair a musculatura do abdômen.

Contraindicações

  • Hipertensão: há que destacar que no caso de indivíduos com patologia cardíaca, há necessidade de supervisão por um terapeuta qualificado, para garantir um aconselhamento adequado do tipo de exercícios a desenvolver.
  • Durante a gravidez, este tipo de exercício deverá ser utilizado unicamente 3 semanas antes da data prevista para o nascimento da criança,  sob a orientação de técnicos especializados com licenciatura universitária, e até 2-3 dias pós-parto.
  • Deverá haver um cuidado extra no caso das doenças inflamatórias intestinais.

Aulas individuais ou em grupo.

 

 

Venha você também aprender a técnica que deixa seu abdômen tonificado e ainda fortalece sua MAP (musculatura de assoalho pélvico).

Agende sua hora,  entre em contato.

 

 

Créditos do texto: http://www.janainacintas.com.br/o-que-e-ginastica-hipopressiva/